quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

troca-troca, what the fuck is that?

Eu li em uma comunidade do orkut chamada Homofobia- Já era, um post falando sobre um jogo sexual vulgarmente chamado de troca-troca. Pelo o que eu entendi ele funciona assim: Adolescentes do sexo masculino se reúnem para praticar o ato sexual com penetração, eles dividem o papel no jogo, hora um é o passivo e hora o outro se sujeitaria a esse papel.

Em um manual da prefeitura eles teriam afirmado que a permanência de um dos jogadores no papel de passivo causaria uma futura homossexualidade, os gays não gostaram nada dessa afirmação e declararam que "a cartilha tem 'passagens de conteúdo preconceituoso e que de maneira alguma se encontram em concordância com a recente literatura médica, psicológica e pedagógica'. O manual foi elaborado com a orientação do psiquiatra e educador Içami Tiba (citado no texto), que classifica o "troca-troca" como um "treino do papel que é a busca da satisfação sexual". Segundo as associações, a passagem traz uma conotação negativa à homossexualidade. As entidades lembram que, em uma resolução de 1999, o Conselho Federal de Psicologia considerou que a "homossexualidade não constitui doença, nem distúrbio e nem perversão". No ofício, as associações afirmam que a "orientação sexual não é resultado de uma escolha, muito menos decorrente de uma prática isolada" e blá blá blá, mas não é ai que eu quero chegar.

Confesso que fiquei assustado quando li a matéria (que se encontra na integra no site da revista época, no final eu coloco o link para vocês), nunca participei, presenciei ou fiquei ciente dessa prática a não ser agora. E ela muito me assusta, simplesmente odiei saber que meu futuro filho poderia estar por ai fazendo jogos sexuais aos 12 anos de idade quando ele deveria estar brincando de carinho e jogando bola. No entanto especialistas dizem que o jogo é inofensivo e que é até mesmo útil, auxilia no auto-conhecimento do próprio corpo e etc., eu não sei, não gostei da idéia, acho que devemos respeitar nossa tempo para as coisas e crianças devem aproveitar a infância. Estou esperando a opinião de vocês sobre esse assunto.

11 comentários:

JOÃO disse...

nunca me convidaram pra essas coisas nem adulto, imagine crianças. cara, considerando essa sociedade homofóbica que nós vivemos o que vejo por aí é os meninos meio que "abusarem" sexualmente dos colegas que se assumem, ou que se demonstram como gays precocemente, esse negocio de um monte de hetero brincando de sentar...
esse psiquiatra precisa é abrir o olho...
abraços

Dama de Cinzas disse...

Eu sei lá... Sempre me achei com conceitos diferentes da maioria. Acho que se isso foi imposto é negativo, mas se surgir como uma prática natural de garotos que entraram na puberdade e querem testar o sexo, sinceramente não vejo nada demais... Tudo depende do jeito como a coisa ocorre.

Beijocas

.moony. disse...

>.<
eu, hein... a infância está perdida .___.
teh +
o/*
.moony.

Patricia disse...

eu estou meio chocada, quando eu tinha 12-14 anos eu não pensava nisso. eu não acho nada natural isso, transformar em um jogo sabe e ainda dizer que é útil, para que?! alguma coisa está errada ai, quero ler essa matéria. :*

Quase Amável disse...

Eu só me descobri gay apartir do momento que veio os sentimentos, quando eu descobri apaixão. Eu tinha 16 anos quando eu despertei um sentimento por outro homem. Até então achava que gostava de mulher!

Quase Amável disse...

M.. meu amigo está melhor. Ele agradeçe!
Ah! se eu não for agora em fervereiro, irei em junho.
bjs!

John Rômulo disse...

Isso é ridiculo! Depois perguntam poque o mundo se acabando! Oras,por favor!
Me parece um sadismo por parte desse "doutor"
E fora que isso não precisa ser ensinado! acontece naturalmente e cada pessoa tem seu tempo certo!

Pedro Wolf Sá Muniz disse...

fico pasmo pelo Içami Tiba ter escrito algo de cunho preconceituoso já que ele disse uma das coisas mais incriveis sobre a hmossexualidade, mas pois bem... troca-troca? Que menino já não fez??? "Se não fez quando na infância vai fazer qndo adulto..." como ouvi um dia desses.

Abraços.

Clóvis sivolC disse...

Nosso q horror , n sei oq comentar , sinceramente o.O
abçs.

Anônimo disse...

discordo

Anônimo disse...

Vivemos numa sociedade hipocrita, onde fazemos de conta que as coisas não acontecem, é verdade que não podemos generalizar, mas com certeza 80% dos adolescentes passaram por isto, sem nenhuma conotação homosexual, pois acredito que esta definição não esta decidida no ato em si, mas numa pré-disposição natural de se relacionar como pessoa do mesmo sexo, quantos passaram por isto? e juram de pés juntos nunca ouviram falar, o preconceito e o machismo exagerado fala mais alto, mas a identificação verdadeira esta dentro de cada cabeça, independente de palavras e auto firmação, esta de parabens o autor por abordar um tema realista.