quinta-feira, 19 de março de 2009

Hoje eu não vou beber, são só 24h.


O titulo do post de hoje é o lema dos A.A. ( Alcoólicos anônimos)

Hoje eu vou contar mais um pedaço da minha vida para vocês, além de divulgar essa lindo trabalho feito para as pessoas com problemas com alcoól.

Na terça descobri perto da minha casa um grupo de ajuda para pessoas alcoolatras, logo pensei em meu pai, eu li: Reuniões todas as terças às 20:00. -Pronto, não precisava saber de mais nada. Às 20:00 com toda a força de vontade que tinha dentro do meu ser enfrentei a vergonha e subi as escadinhas aonde dava na sala em que acontecia as reuniões. Sentei-me em uma das pobres cadeiras de madeira com braços largos ( como as da escola), muito antigas. Somavam 8 pessoas comigo, uma delas estava na frente, falando, contando sua triste história. Enquanto eu sentava todos olharam para mim, mas logo se voltaram para frente e não se incomodaram mais com a minha presença.

O velho e negro homem que estava discursando lá na frente contava como perdeu a sua mulher para o cancêr, sem perceber, é claro. Afinal de contas todas às vezes que a sua mulher era hospitalizada ele nem ao menos percebia, estava bêbado. Finalmente sua mulher morreu, mas ele de fato não sentiu a perda, nunca estava sóbrio para poder sentir a dor da morte de sua mulher, uma história tão lamentável quanto todas as outras que eu escutei naquela noite.

Como não podia deixar de acontecer se dirigiram a mim e perguntaram se eu gostaria de falar o motivo de estar ali, perguntaram se eu gostaria de dividir alguma coisa com eles. Ainda que tímido eu me levantei, me senti tonto com os olhares que eram dirigidos a mim, não era muita gente, mas haviam pessoas o suficiente para fazer a minha garganta secar e me fazer tropeçar com as palavras.Vomitei a minha história diante deles: Sou filho de um homem alcoólatra, por mais que ele não tenha percebido ainda a sua doença, já sofremos bastante com ele. Há alguns anos ele consegue dominar a sua sede por alcoól durante alguns meses, mas quando ele não resiste ao primeiro gole o efeito é desastroso, ele consegue destruir tudo aquilo que construiu a sua volta, é triste. Infelizmente não consegue se manter em nenhum emprego, junto com a bebida vem a mentira, as atitudes irresponsáveis e tantas outras coisas, é triste. Estou aqui hoje a noite para procurar ajuda por ele.

Muito foi dito, muitas dúvidas foram tiradas. Me disseram que de fato alcoolismo e uma doença e que ela também causa distúrbio de caratér. Fui informado que não só o alcoolatra sofre danos com a própria doença, mas toda a família adoece junto com ele. A vontade de ser curado deve partir do próprio alcoolatra, fora isso qualquer tentativa por parte da família está fadada ao erro, o que cabe a nos é tentar de forma bastante suave fazer com que ele entenda que é doente e que sozinho não conseguirá se controlar.


Então, se você tem um parente, amigo, namorado ou marido doente em casa não sinta vergonha e procure pelo grupo A.A. mais próximo de sua casa.

13 comentários:

Patrycia Rodrigues disse...

alcolismo realmente é uma doença que acaba não só com o doente, mas com todos que o rodeiam, assim como qualquer outro vicio em drogas...
eu espero que você e sua familia consigam vencer eese cancer chamado alcolismo...

muito bom seu poste, muita coragem sua contar aki coisas da sua vida...
a cada post admiro mais vocÊ!!

beijos!!

Dama de Cinzas disse...

Meu pai é alcoólatra tb! Hoje não bebe mais, mas sabe que se colocar o primeiro gole tudo volta!

Eu já tive problemas que me levarão ao álcool, de vez em quando o vazio me leva ao álcool, mas paro sempre que quero e posso beber socialmente numa boa. Não sei se me enquadraria como alcoólatra, fica a dúvida...

Beijocas

Mariposo-L disse...

Nossa imagino que essas reuniões devam ser uma barra , mas não é só alcoolismo, acho que qualquer vicio, causa muitos traumas em família, espero que vc tenha sucesso com seu pai ... e não esqueça a familia é a peça fundamental nisso .


abraços

Eu amo a E.Y. disse...

Felizmente nunca tivesse esse problema, mas torço para que você consiga fazer com que seu pai supere o problema o mais rápido possível.

Um abraço!

Pedro Wolf Sá Muniz disse...

Eu não sei se sinto ódio ou pena das pessoas que se deixam levar por seus vícios.
Ódio pq existe uma coisa chamada força de vontade.
E pena pq sei que existe uma "coisa" maior do que a força de vontade, maior do que a própria vida da pessoa. O Vício é um grande parasita, que se instala nos momentos em que há feridas abertas por algum motivo...

Força!

ps: apague o outro comentário Pedrinhu_munichz, por favor, e-mail, errado! Obrigado!

Cruela Cruel Veneno da Silva disse...

todos os parentes dos alcoolotras deveriam frequentar.

o casalqseama* disse...

oi, querido,
parabéns pela iniciativa e coragem de partilhar esse drama. o grande segredo é o usuário querer ser ajudado...

meu avô foi alcólatra, destruiu a família literalmente. meu pai sofreu muito quando jovem. infelizmente, era um grande homem, mas se foi por causa do vício.

daqui vão positive vibrations para que seu pai embarque na recuperação e tratamento.

sorte grande.
não desista!

bjão com carinho da fê =D

Homorango disse...

Oi, meu lindo...
Parabéns pela aitude e pela coragem...
É isso memso, temos que resolver o problema de frente e não ficar esperando por ele..

.moony. disse...

oi :D
é isso ae!! coragem :D
passo por um problema parecido, sei como é difícil e destruidor .__.

--
respondendo teu comentário no status:
sabe, quando eu criei o blog eu achava que status quo significava ponto de equilíbrio (por isso o cogumelo e talz: pro logo ficar contraditório xD), mas belo dia a wikipedia destruiu minha ilusão, dizendo que status quo significa "o estado natural das coisas"... mas tudo bem, tá valendo xD
bjo
teh +
o/*

Leo Carioca disse...

Não tem nenhuma pessoa que faça parte diretamente da minha vida pessoal que sofra de alcoolismo.
Mas entendo que é uma doença. Até porque a pessoa não consegue parar, né? É diferente de quem tomou 1 ou 2 copos e, quando viu que tava se embebedando, parou. O alcoólatra não consegue fazer isso.

John Rômulo disse...

Parabés pelo post.Ele presta um verdadeiro serviço publico!
Tenho ulguns casos de alcolismo em minha familia.realmente é uma vida sofrivel principalmente paras as pessoas que estão ao redor dos alcoólatras.
Mas devemos lembrar que não tem cura,mas tem controle.A cada fim de dia é uma batalha vencida!

JOÃO disse...

o melhor jeito de lidar com um problema é conhecê-lo. Pelo o que vc relata seu pai tenta se afastar, já é um início.

Tiago Leal disse...

Já tentou ajuda e grupos kardecistas? A filosfia kardecista diz que uma pessoa que bebeu em vida continua a beber depois que desencarna só que atravéz de outro vivo. E isso é o que causa dependência: você beber por si e pelos outros. Existem grupos que trabalham pela separação dessas duas partes, eles chamam de desobssessão. E não precisa o doente estar presente. Basta que a família se uma em torno da cura. Eu não sei qual é o tratamento pq não sou adepto, mas conheço gente que gosta e vê resultados.